Observatório avança na difusão e transferência de conhecimento

Ao longo do ano de 2010 as atividades realizadas pelo INCT: Observatório das Metrópoles consolidaram seu intenso programa de transferência de resultados através de seu portal na internet e da atuação dos seus pesquisadores em Fóruns e Colegiados de Organizações Sociais, em Assessoria a Governos e Organizações Sociais, na Difusão e Educação Científica, bem como na Contribuição para o Ensino Básico.

Dentre as ferramentas de difusão, destaca-se o portal na internet que vem se consolidando como um importante veículo de comunicação entre academia e sociedade, através da divulgação de informações e pesquisas relevantes para estudantes, pesquisadores, meios de comunicação e o público em geral, evidenciado pelo volume de acesso. Foram mais de 165 mil acessos à página principal entre janeiro e dezembro de 2010 e mais de 360 mil às páginas internas, o que comprova sua importância na difusão de informações e do conhecimento, fortalecendo a relação entre a universidade e a sociedade.
Nosso portal, no formato atual, existe há pouco mais de dois anos e vem cumprindo os objetivos de integrar a rede Observatório e disponibilizar para o grande público a ampla produção acadêmica realizada no âmbito do campo de pesquisa da rede. Além disso, o Boletim Semanal tem propiciado a divulgação sistemática de informações sobre os problemas metropolitanos para o público em geral, para instituições formadoras de opinião pública e meios de comunicação de massa (jornais, revistas, rádio e televisão). Nesse período, vale acrescentar, na seção Artigos de Opinião foram disponibilizados 57 artigos, que tiveram mais de 109 mil acessos. Foram também disponibilizados 170 artigos científicos, os quais foram apresentados em eventos científicos de relevância internacional, como ISA, LASA, ANPUR e ABEP, que tiveram mais de 165 mil acessos no período de dois anos.
observatoriodasmetropoles.net tem um papel fundamental também no desenvolvimento das atividades do INCT, pois é o principal veículo de divulgação dos resultados dos trabalhos de pesquisa realizados. Além disso, contribui na interlocução com os movimentos sociais e os gestores públicos e ajuda a formar o debate público sobre a questão metropolitana no Brasil.
Por último, é importante destacar a participação de todos os visitantes e, principalmente, dos pesquisadores da rede nacional do Observatório das Metrópoles, que contribuem com críticas, sugestões e contribuições.

Confira abaixa a atuação do Observatório na difusão e transferência de conhecimento para a sociedade:

Participação em Fóruns e Colegiados de Organizações Sociais

Âmbito Local

  • Conselho das Cidades – Curitiba
  • Observatório das Políticas Públicas do Paraná
  • Conselho Estadual das Cidades do Ceará
  • Conselho do Patrimônio Histórico e Cultura de Fortaleza (COMPHIC)
  • Conselho Estadual das Cidades do Rio de Janeiro.
  • Conselho Municipal de Planejamento e Gestão Territorial
  • Conselho Municipal de Assistência Social (COMAS)
  • Forum Maringaense pelo direito às cidades
  • Forum intermunicipal lixo & cidadania – Maringá, Sarandi e Paiçandu.
  • Câmara Técnica de Assuntos Metropolitanos do CODEM – Conselho de Desenvolvimento Econômico de Maringá

Âmbito Nacional

  •  Conselho Nacional das Cidades
  • Comitê Observatório Internacional da Democracia Participativa
  • Júri do prêmio de “Boa Prática em Participação Cidadã” do OIDP

Assessoria para o governo:

Âmbito Federal

•    COLEÇÃO COMO ANDAM AS METRÓPOLES BRASILEIRAS?
•    Rede de avaliação para capacitação dos Planos Diretores Participativos: 526 relatórios municipais dos planos diretores pesquisados; 26 relatórios dos estudos de caso; 27 relatórios estaduais;

Âmbito Estadual

  • Secretaria de Estado de Desenvolvimento Regional e Urbano – SEDRU –MG
  • Plano Metropolitano de Belo Horizonte.
  • Escola do Legislativo da Assembléia Legislativa – Minas Gerais

Âmbito Municipal

  • Escola do Legislativo da Câmara Municipal de Belo Horizonte
  • Câmara Municipal: Projeto Pacto Por Fortaleza

Assessoria às organizações sociais:

Âmbito Local
•    Apoio a realização do Fórum Metropolitano da RMBH

Âmbito Nacional
•    Programa de Capacitação e Gestão. Arranjos urbanos-regionais. COGEAE –PUC-SP. São Paulo, outubro 2010.
•    Colaboração na Rede de Instituições, ao relatório “O Estado das Cidades no Brasil. Agenda para uma Política Urbana para o país”, sob coordenação executiva do Instituto Pólis e coordenação geral da FNP, ABM, Aliança das Cidades, Ministério das Cidades, CEF, Banco Mundial, BID, UM Habitat, 2009/2010

Interação com o ensino básico:

•    Parceria com o OBSERVATÓRIO DA EDUCAÇÃO CAPES/INEP:
•    Projeto: “Observatório Educação e Cidades”  2007-2011
•    Projeto: “Mapa social da RM Natal: referências na qualidade escolar.” 2007-2011
•    Projeto: “Desigualdades de Oportunidades Educacionais e Dimensões da Alfabetização da Educação no Estado do Rio de Janeiro.” 2011-2014
•    Projeto: “O Habitus de estudar: Construtor de Uma Nova Realidade na Educação Básica da Região Metropolitana de Natal” 2011-2014
•    Projeto de Extensão: TRILHAS URBANAS: PERCURSOS GEOGRÁFICOS NA CIDADE DE FORTALEZA Proporcionar uma leitura geográfica do espaço urbano de Fortaleza através da elaboração de roteiros de percursos urbanos voltados para o ensino em escolas públicas e privadas.
•    Publicação dos Livros: “Cidade contra a Escola”, em 2008,  organização de RIBEIRO & KATZMAN; e, Desigualdades Urbanas, Desigualdades Educacionasi”, em 2010, organizado por RIBEIRO, LASMAR, KOSLINSKI & ALVEZ.

DIFUSÃO/EDUCAÇÃO CIENTÍFICA 

•    O observatório publica por mais de 10 anos o CADERNOS METRÓPOLES, Revista Nacional conceito A no Qualis da CAPES, na área de Planejamento Urbano e Regional.  Totalizando 312 artigos recebidos, 183 artigos publicados, 141 autores nacionais, 16 autores estrangeiros.   http://www.observatoriodasmetropoles.net/cadernosmetropole
•    Lançamento em 2010 da e-metropolis, Revista eletrônica, editada por alunos de pós-graduação e com um Conselho Científico composto por professores nacionais e estrangeiros.
•    PORTAL DO OBSERVATÓRIO DAS METRÓPOLES registra uma média mensal de 25.313 acessos.

 

 

Tags: ,