Neste artigo Bianca Reis Ramos analisa as condições de qualidade de vida urbana no município do Rio Grande (RS), por meio do Índice de Bem-Estar Urbano (IBEU) – criado pela Rede INCT Observatório das Metrópoles. A análise aponta que Rio Grande apresenta níveis entre muito ruim e bom na dimensão infraestrutura urbana, principalmente na área central e arredores. E retrata a tendência de distribuição do bem estar no espaço e a importância de indicadores sociais para o planejamento das cidades.

O artigo “Índice de Bem-Estar Urbano no município do Rio Grande (RS)”, de Bianca Reis Ramos, é um dos destaques da edição nº 23 da Revista e-metropolis.

Bianca Reis Ramos é geógrafa pela Universidade Federal do Rio Grande.

INTRODUÇÃO

Os processos de ocupação urbana e os impactos das políticas públicas podem refletir diretamente na qualidade de vida e bem-estar da população que vive na cidade. O espaço urbano é reflexo da sociedade e condicionante social, pois todas as intervenções e modificações feitas em um ponto vão influenciar um todo, ocasionando o aumento ou a atenuação de desigualdades, características do espaço urbano capitalista (Corrêa, 2004). Por isso, essas modificações devem ser acompanhadas de planejamento para evitar entraves futuros provenientes da produção ou reprodução destes espaços de forma desordenada e desigual, acarretando diminuição da qualidade de vida, deficiência de infraestruturas urbanas e, consequentemente, o comprometimento do bem-estar da população que reside nas cidades. Para Santos (1988, p. 37), “o fenômeno humano é dinâmico e uma das formas de revelação desse dinamismo está, exatamente, na transformação qualitativa e quantitativa do espaço habitado”.

A utilização de indicadores sociais é imprescindível no planejamento urbano como ferramenta de monitoramento e avaliação de políticas públicas. Entre diversas iniciativas neste sentido, destacamos o trabalho de Ribeiro e Ribeiro (2013), que consiste na elaboração de um Índice de Bem-Estar Urbano (IBEU), elaborado pelo INCT – Observatório das Metrópoles da Universidade Federal do Rio de Janeiro.

O IBEU foi elaborado para quinze metrópoles do país, com o objetivo de fornecer informações gerais com relação à situação das populações em concentrações urbanas, com base nas escalas de habitação e pelos equipamentos e serviços urbanos, através dos da- dos do Censo Demográfico do Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE). Esse índice engloba as dimensões de mobilidade, condições ambientais, condições habitacionais, atendimento de serviços co- letivos e infraestruturas. As dimensões são formadas a partir de indicadores relacionados à qualidade de vida urbana e meio ambiente; e infraestrutura e habitação, conforme classificação de Jannuzzi (2006).

Logo, este trabalho tem o objetivo de analisar a qualidade de vida e infraestruturas urbanas, referente às condições de vida urbana na cidade do Rio Grande, por meio do IBEU. A metodologia foi realizada com base em revisão bibliográfica acerca dos conceitos de qualidade de vida, infraestruturas e bem-estar urbano abordados no trabalho, e na utilização de índices e indicadores sociais como subsídios ao planejamento urbano. O diagnóstico utilizado neste trabalho foi elaborado com base na metodologia proposta por Ribeiro e Ribeiro (2013) através do IBEU.

As avaliações das potencialidades e fragilidades urbanas com base em indicadores sociais são de grande importância no planejamento urbano e como subsídios na elaboração de políticas públicas, pois apontam o nível de desenvolvimento de um territó- rio e outras características sociais de uma população, auxiliando com maior grau de certeza o direciona- mento dos investimentos para setores prioritários e estratégicos, além de apontar tendências de ocupação ao longo do tempo no espaço urbano, justificando a proposição da pesquisa.

O artigo está estruturado em três partes. Na primeira apresenta os conceitos trabalhados. Na segunda, a caracterização da área pesquisada e a metodologia utilizada para atingir o objetivo da pesquisa. Na terceira parte detalha os resultados alcançados, e, ao final, tece considerações sobre os resultados analisados.

Acesse a edição nº 23 da Revista e-metropolis e veja o artigo completo “Índice de Bem-Estar Urbano no município do Rio Grande (RS)”.

Última modificação em 12-01-2016 18:42:53