Pesquisa traça perfil da população em situação de rua na Grande Vitória

Moradores de rua em Vila Velha, região metropolitana da Grande Vitória. (Crédito: reprodução/web)

O Instituto Jones dos Santos Neves (IJSN), vinculado ao Núcleo Grande Vitória da Rede INCT Observatório das Metrópoles, produziu o Relatório da Pesquisa sobre População em situação de Rua da Região Metropolitana da Grande Vitória. Trata-se de uma pesquisa inédita no Espírito Santo, fruto da parceria entre a Secretaria de Direitos Humanos do Estado do Espírito Santo (SEDH), o Instituto Jones dos Santos Neves (IJSN) e a Fundação de Amparo à Pesquisa do Espírito Santo (FAPES).

O objetivo da pesquisa foi conhecer o perfil, as demandas e as principais vulnerabilidades dessa população, de forma a gerar informações e dados para subsidiar a formulação de políticas públicas específicas para a população em situação de rua.

Foram realizadas 385 entrevistas no mês de julho de 2017, nos sete municípios que compõem a Região Metropolitana da Grande Vitória. As questões abordaram temas nas áreas de saúde, educação, trabalho e renda, além da origem, trajetória de vida e cotidiano dessa população. Todos os entrevistados informaram ter dormido em ruas, abrigos ou albergues nos últimos 15 dias que antecederam a realização da pesquisa.

Dentre outros dados, o estudo mostrou que a maioria da população em situação de rua é composta de homens, com idade entre 30 e 49 anos, e que possui uma profissão. Entre as principais causas que levaram a viver nessas condições estão problemas familiares, o uso de drogas e álcool, além do desemprego. Cerca de 80% disseram estar nas ruas há mais de seis meses e quase a metade já foi vítima de violência.

A pesquisa contou também com a parceria do Movimento Nacional de População em situação de Rua (MNPR), que atuou na abertura de campo e na articulação junto aos entrevistados. “O estudo contribui para minimizar a escassez de estatísticas confiáveis e de informações consolidadas sobre pessoas em situação de rua, no Brasil e no Espírito Santo, oferecendo importante contribuição na formulação de políticas públicas”, conta Sandra Mara Pereira, coordenadora da pesquisa.

A Rede Observatório das Metrópoles também vem desenvolvendo pesquisas sobre população de rua — é o caso do levantamento realizado pelo Núcleo Maringá, coordenado pela professora Ana Lúcia Rodrigues.

Acesse os resultados da pesquisa AQUI.

Veja mais em:

Observatório inicia 3ª pesquisa sobre a População de Rua em Maringá

***Com informações da Assessoria de Imprensa do IJSN.

 

Tags: , , , ,