O Laboratório de Planejamento Urbano e Regional (LAPUR) do Departamento de Geografia da Universidade Federal do Ceará (UFC) é reconhecido por suas grandes contribuições ao entendimento da urbanização e da organização do território brasileiro, em especial da Região Nordeste. São mais de três décadas marcadas por publicações inovadoras, geralmente derivadas de projetos de pesquisa a incluir parceiros nacionais e internacionais. Simultaneamente, a formação de novos pesquisadores no seio do Programa de Pós-Graduação em Geografia, ano a ano, ampliou as possibilidades e renovou a agenda de pesquisa. O livro Espacialidades Turísticas: do regional ao global, organizado por Alexandre Queiroz Pereira e Eustógio Dantas, é tributário dessa tradição acadêmica e instrucional.

Os estudos acerca da geografia urbana e regional dos lazeres foram introduzidos no LAPUR por Eustógio Dantas no final do século XX e início do século XXI. Ao compreender a importância da valorização dos espaços litorâneos, percebeu-se como a situação marítima-litorânea é reveladora das novas relações da sociedade com o mar. Indo além, Dantas revelou como as sociedades em países tropicais adaptam, disseminam e reconstituem as práticas marítimas modernas, inicialmente constituídas em países europeus. Assim, os estudos sobre a valorização dos espaços litorâneos vêm demonstrando o papel dos lazeres e do turismo na produção dos espaços urbanos contemporâneos. As cidades ou as metrópoles litorâneas voltam-se para seu lado mar, construindo infraestruturas para os lazeres e, especialmente, para a atração de fluxo turístico.

Este livro enxerga os lazeres e o turismo enquanto fenômenos e práticas multidimensionais, sejam espaciais, culturais, tecnológicas, simbólicas, econômicas e políticas. Aproxima-se assim das concepções já defendidas por estudiosos da envergadura de Alain Cobin, Marc Boyer, Henri Lefebvre, George Cazes, Michel Colin Hall e Daniel Hiernaux Nicola. Por outro lado, os resultados das pesquisas aqui apresentados evidenciam a dinâmica nos lugares e exprimem o jogo de escalas geográficas, decisivos na compreensão da turistificação de cidades, metrópoles e regiões.

A coletânea instiga o leitor a reconhecer agentes sociais, temporalidades e territorialidades relacionados às políticas públicas, às condições socioambientais, às plataformas de compartilhamento de propriedades, aos impactos da construção de infraestruturas e de empreendimentos turísticos.

Os capítulos foram organizados em três partes, sendo a primeira intitulada “Turismo, política, região e território”, a segunda “Lazeres, impactos e vulnerabilidades” e, por último, a parte “Vilegiatura e segunda residência, no campo e na praia”. Ao folhear as páginas, o leitor atento perceberá como a Região Nordeste ganha destaque nas interpretações, fato explicado pelas constantes transformações pós-Prodetur, assim como os desdobramentos recentes.

Na primeira parte, cinco capítulos constroem enredos a articular e aprofundar os temas nas escalas continental, nacional e regional. Dessa forma, são analisadas:

  • A turistificação, a vilegiatura e os esportes em zonas de praia em países latino-americanos (Eustógio Dantas e Alexandre Pereira);
  • A noção de desenvolvimento e organização da atividade turística no Nordeste do Brasil (Bertrand Cozic e Benjamin Taunay);
  • Os fundamentos e efeitos das políticas públicas de infraestruturação da Região Nordeste, em especial a zona costeira (Enos Araújo);
  • A organização do sistema regional e o fluxo rodoviário de turistas em zonas de praias nordestinas (Luana Araújo e Fábio Matos); e,
  • A formação e a disseminação midiática das imagens dos lugares turísticos no litoral (Tiago Castro).

Na segunda parte, exprimem-se possibilidades analíticas capazes de apontar efeitos do desenvolvimento da atividade turística, dois capítulos a estabelecer leitura do território brasileiro e um a estimular o conhecimento dos espaços litorâneos europeus. Os textos se sucedem corroborando a necessidade de métodos comparativos, quantitativos e qualitativos para investigar a hipótese do desenvolvimento social proporcionado pelo turismo (Marilia Silva et al.). Investigam-se também os novíssimos complexos turísticos imobiliários construídos nas regiões metropolitanas do Nordeste (Gabriela Cunha et al.). Por fim, oportuniza-se o conhecimento de práticas de patrimonialização e proteção em áreas turísticas a partir de três casos no Noroeste Europeu (Vincent Andreu et al.).

Na última parte, retoma-se o estudo da prática da vilegiatura e os novos usos/usuários nas segundas residências no Nordeste do Brasil. O capítulo inicial nos aproxima do tema dos imóveis de uso sazonal, porém nos adverte das novas localizações e formas de acesso, principalmente em função das plataformas mundiais de locação de imóveis (Edson Oliveira e Bruno Silveira). No derradeiro, exibe-se avaliação atualizada dos efeitos da vilegiatura em pequenas cidades, tanto em contexto de altitudes (campo) e nos espaços urbanos à beira-mar (Iara Gomes e Paulo Abreu).

O livro Espacialidades Turísticas: do regional ao global, construído a várias mãos, representa bem mais que uma publicação; ao contrário, constitui-se como resultado de tradicionais e novas parcerias. Ao mesmo tempo, conclama a comunidade acadêmica ao debate científico acerca do que aqui chamamos geografia urbana e regional dos lazeres.

Os organizadores agradecem o Conselho Nacional de Desenvolvimento Científico e Tecnológico (CNPq) pela concessão de recursos na forma de bolsas de pesquisador produtividade; as contribuições científicas-editoriais da Rede Observatório das Metrópoles e o financiamento dos projetos CAPES PGPSE Proc. 88887.123947/2016-00: Sistemas Ambientais costeiros e ocupação econômica do Nordeste; CAPES PRINT Proc. 88887.312019/2018-00: Integrated socio-environmental technologies and methods for territorial sustainability: alternatives for local communities in the context of climate change; e Programa CAPES/FUNCAP Proc. 88887.165948/2018-00: Apoio às Estratégias de Cooperação Científica do Programa de Pós-Graduação em Geografia da UFC.

O livro está disponível em nossa Biblioteca Digital e no site da Editora Letra Capital.