#financiamento —  “Casacadabra: Cidades para Brincar”

A Pistache Editorial divulga a Campanha de financiamento para elaboração do livro “Casacadabra 2: Cidades para Brincar”, de autoria das arquitetas Simone Sayegh e Luísa Amoroso, e da jornalista Bianca Antunes. O Casacadabra 2 mostra as cidades como espaços lúdicos: um rio que estava escondido e reaparece, uma escadaria que serve pra encontrar os amigos, ruas onde a regra é brincar, uma praça que vive se transformando. Assim, os leitores percebem os espaços urbanos como vivos e abertos a brincadeiras, ao mesmo tempo em que entendem o papel do urbanismo e descobrem a essência de pequenos mistérios presentes nas cidades por onde passam e moram.

O Casacadabra 2 traz a história de dez espaços públicos pelo mundo – alguns assinados por arquitetos, outros construídos pela comunidade, muitos feitos em conjunto pelos dois.

A ideia é aproximar o espaço urbano do cotidiano das crianças – e dos adultos – trazendo exemplos pelo mundo que são lúdicos, trazem boas histórias e muito aprendizado. São eles:

– Superkilen, em Copenhague, Dinamarca

– High Line, em Nova York, Estados Unidos

– Cantinho do Céu, em São Paulo, Brasil

– Escadaria Trinidade do Monte (Praça Espanha), em Roma, Itália

– Parquinhos de Aldo van Eyck, em Amsterdã, Holanda

– Reabertura do rio Cheonggyecheon, em Seul, Coreia do Sul

– Praça dos Desejos, em Medelín, Colômbia

– Praça Imagem do Mundo, em Esfahan, Irã

– Buraco da Vergonha, em Barcelona, Espanha

– Avenida Paulista, em São Paulo, Brasil

O livro tem 80 páginas e dimensão de 21 cm x 21 cm.

Segundo as autoras, a ideia continua a mesma: muita interatividade nas páginas do livro e explicação de palavras a princípio complicadas – quem sabe o que é drenagem, planejamento participativo ou mobiliário urbano? – de maneira simples e didática. Acreditamos que esse seja um novo passo para termos cidades mais humanas, abertas ao encontro e à construção coletiva.

Por que um livro de Urbanismo para crianças. Assim como no primeiro Casacadabra, a proposta é romper a comunicação escassa que existe entre os arquitetos e a sociedade. Uma forma de fazê-lo é começar pela base: ensinando arquitetura e urbanismo às crianças.

Participe da campanha de financiamento no site do Catarse.

Veja o vídeo explicativo abaixo:

Segundo as autoras, desde o lançamento do Casacadabra 1, em 2016, muitas iniciativas aconteceram pelo Brasil inspiradas no livro, como oficinas para crianças, ou professores utilizando o livro em sala de aula. “O passo foi dado e ficamos muito felizes – pois seguimos acreditando que, se o ensino de arquitetura e de urbanismo começar pela criança, as cidades têm a chance de receber, no futuro, um olhar mais crítico e apurado de quem a constrói, na busca de melhores soluções urbanas”, explicam.

https://www.catarse.me/casacadabra2

 

Tags: , ,