Hipersegregação e gentrificação em bairros residenciais

Reprodução: Urbanidades (CEM/USP).

Luciana Andrade, coordenadora do Observatório das Metrópoles Núcleo Belo Horizonte, participou do episódio 29 do podcast Urbanidades vinculado ao UrbanData-Brasil, do Centro de Estudos da Metrópole (CEM/USP). 

Luciana é professora do Departamento de Ciências Sociais e do Programa de Pós-Graduação em Ciências Sociais da PUC Minas.

Na conversa com Apoena Mano, Luma Mundin Costa e João Freitas, Luciana falou sobre a sua pesquisa atual, em torno da hipersegregação e da gentrificação em bairros residenciais de Belo Horizonte, Minas Gerais.

De acordo com a pesquisadora, como o conceito de gentrificação foi formulado originalmente nos países do Norte, é necessário cuidado ao incorporá-lo aqui e nos demais países da América Latina. Nesse sentido, na sua pesquisa procura trabalhar o conceito de forma menos descritiva. Segundo Luciana, gentrificação é “uma referência importante para a compreensão dos processos de transformação nas grandes cidades e decorre da entrada em um território de um grupo social com status superior aos residentes, provocando a expulsão destes“.

Já sobre a hipersegregação, a pesquisadora destaca as pesquisas desenvolvidas no Observatório das Metrópoles que avaliam esse fenômeno nas regiões metropolitanas brasileiras. Nesses trabalhos, a hipersegregação se refere à concentração de grupos de mais alto status social nos espaços superiores das metrópoles, inclusive apresentando uma tendência ao longo dos anos de maior homogeneidade dessa presença.

Para saber mais, confira o episódio do podcast Urbanidades (CLIQUE AQUI).

 

Tags: , , , , , ,