IBEU: desigualdade intrametropolitana em Maringá

IBEU LOCAL: RM de Maringá apresenta desigualdade entre municípios

 

Com o propósito de dar continuidade à campanha “Pelo bem-estar urbano” o Observatório das Metrópoles começa a divulgar uma série de textos analíticos com os resultados do IBEU Local. A iniciativa visa oferecer informações para que atores governamentais e sociedade civil em geral possam debater e implementar mecanismos de governabilidade em seus territórios. O primeiro texto da série é sobre a RM de Maringá cujo retrato é de profunda desigualdade intrametropolitana. A coordenação do Observatório aproveita para informar a seus parceiros a ampla difusão do livro “Índice de bem-estar urbano – IBEU”, que foi noticiado na última semana por veículos de imprensa de várias partes do Brasil.

O INCT Observatório das Metrópoles lançou, no dia 21 agosto no Auditório do IPPUR/UFRJ, o livro “Índice de Bem-estar Urbano – IBEU” com o propósito de apresentar a atores governamentais, universidades, movimentos sociais, veículos de comunicação e sociedade civil de modo geral, o mais novo instrumento para avaliação e formulação de políticas urbanas para o país.

O IBEU procura avaliar a dimensão urbana do bem-estar usufruído pelos cidadãos brasileiros promovido pelo mercado, via o consumo mercantil, e pelos serviços sociais prestados pelo Estado. Por meio do índice é possível analisar indicadores de mobilidade urbana; condições ambientais urbanas; condições habitacionais urbanas; atendimento de serviços coletivos urbanos; infraestrutura urbana para os 15 grandes aglomerados urbanos que o INCT Observatório das Metrópoles identificou em outros estudos como as metrópoles brasileiras, por exercerem funções de direção, comando e coordenação dos fluxos econômicos.

Para atingir o objetivo proposto, o IBEU foi concebido em dois tipos: Global e Local. O IBEU Global é calculado para o conjunto das 15 metrópoles do país, o que permite comparar as condições de vida urbana em três escalas: entre as metrópoles, os municípios metropolitanos e entre bairros que integram o conjunto das metrópoles. Já o IBEU Local é calculado especificamente para cada metrópole, permitindo avaliar as condições de vida urbana interna a cada uma delas.

Com o objetivo de dar continuidade à campanha “Pelo bem-estar urbano” e ampliar a difusão do IBEU, o Observatório das Metrópoles começa a divulgar uma série de textos analíticos com os resultados do IBEU Local. O primeiro texto da série de Ana Lúcia Rodrigues e Lucília Amaral Fontanari traça um retrato do bem-estar urbano da RM de Maringá. O resultado geral é um território de profunda desigualdade intrametropolitana.

Abaixo a lista dos textos analíticos sobre o IBEU Local das Regiões Metropolitanas brasileiras, e mais as datas de publicação no Boletim semanal do nosso instituto. O Observatório busca assim ampla difusão do índice de bem-estar urbano, oferecendo o máximo de dados informações a toda a sociedade brasileira.

28/08 – RM de Maringá

04/09 – RIDE Brasília

11/09 – RM Rio de Janeiro

18/09 – RM São Paulo

25/09 – RM Curitiba

02/10 – RM Porto Alegre

09/10 – RM Vitória

16/10 – RM Goiânia

23/10 – RM Belém

30/10 – RM Natal

06/11 – RM Recife

13/11 – RM Belo Horizonte

20/11 – RM Salvador

27/11 – RM Baixada Santista

04/12 – RM Fortaleza

 

IBEU LOCAL: RM de Maringá apresenta desigualdade entre municípios

Por Ana Lúcia Rodrigues e Lucília Amaral Fontanari

O IBEU Local é calculado especificamente para cada metrópole, permitindo avaliar as condições de vida urbana interna a cada uma delas e identificar os seus indicadores no território composto pelas áreas de ponderação do IBGE. Estas áreas foram construídas por meio de agregação dos setores censitários homogêneos. A Região Metropolitana de Maringá é constituída por 26 municípios e composta por 52 Áreas de Ponderação (APONDS). A maioria dos municípios da região maringaense (21) se constitui de apenas 01 área, pois apresenta uma população pequena e pouco heterogênea em termos de suas características socioeconômicas. Maringá tem seu território municipal desagregado em 20 APONDs, Sarandi em 5 APONDs e Paiçandu, Marialva e Mandaguari em 02 APONDs.

Na análise do IBEU local da RMM os resultados mostram que três áreas registram IBEU superior a 0,8, considerado um nível bom ou excelente de bem-estar urbano (0.901-1.000). No oposto da classificação uma área da RMM, referente ao município de Bom Sucesso, apresenta um índice de 0.349 com um nível de bem-estar urbano considerado ruim ou péssimo (0.000-0.500). Dentre as 52 áreas da região, 27 apresentam índice abaixo da média (0,748) do conjunto dos índices das áreas do território metropolitano (mapa e tabela).

O IBEU da região maringaense explicita uma profunda desigualdade entre os municípios e também intramunicipal variando de 0,349 (área que engloba a cidade de Bom Sucesso) que expressa um nível muito ruim de bem estar urbano até 0,911 que indica área com alto nível de bem estar ( área central de Maringá).

No ranking do IBEU local da Região Metropolitana de Maringá as 5 áreas melhores posicionadas se localizam em Maringá e são as seguintes: Zona 1 – Vila Operária (0,911), Zona 7 (0,906), Vila Santo Antonio – Colombo (0,901), Jardim Alvorada – Liberdade (0,897), Parque das Grevíleas – Jardim do Sol (0,894), todas localizadas no município de Maringá. As 5 últimas áreas posicionadas no ranking local são: Bom Sucesso (0,349), Sarandi – Parque Alvamar (0,513), região oeste de Paiçandu (0,542), Jardim Monterey-Condomínios (sul de Sarandi) (0,570) e centro-Jardim Universal (norte de Sarandi) (0,574).

Acesse no link o texto completo sobre o IBEU Local – RM de Maringá.

 

Tags: , , ,