Começa no dia 05 de agosto (quinta-feira) o Ciclo Cadernos Metrópole – Difusão Científica e Temas Emergentes, com a mesa de abertura “A Metrópole e a Covid-19: presente e futuro”. O evento seguirá até o dia 16 de setembro, com transmissões todas as quintas-feiras, sempre a partir das 16 horas, no canal do Observatório das Metrópoles no Youtube. Além da mesa de abertura, serão realizados seis debates, organizados a partir dos dossiês temáticos publicados na Revista Cadernos Metrópole.

Com participação da professora da Pontifícia Universidade Católica de São Paulo (PUC-SP) e editora científica da Revista Cadernos Metrópole, Lucia Bógus, a mesa de abertura será organizada pelo coordenador nacional do Observatório e professor da Universidade Federal do Rio de Janeiro (UFRJ), Luiz Cesar de Queiroz Ribeiro. Os convidados são o médico sanitarista José Carvalho de Noronha (ICICT/Fiocruz), o geógrafo Ricardo Dantas (ICICT/Fiocruz), o urbanista e professor da Faculdade de Arquitetura e Urbanismo da Universidade de São Paulo (USP), Nabil Bonduki, e o pesquisador da Universidade de Lisboa, Roberto Falanga. Noronha e Dantas são os organizadores do dossiê número 52, intitulado “Metrópole e Saúde”, que será lançado no segundo semestre de 2021 pela Revista Cadernos Metrópole, com reflexões sobre a metropolização e o processo de saúde e doença.

Reencontro da ciência da saúde com a ciência da cidade

Uma série de preocupações motivaram o Comitê Editorial da Revista Cadernos Metrópole a propor a mesa de abertura do Ciclo, sob o título “A Metrópole e a Covid-19: presente e futuro”. Sabe-se que a Covid-19 está inserida no ciclo de eventos epidêmicos e pandêmicos de natureza animal, iniciado com o SARS (2003), H1N1 (2009), MERS (2012), EBOLA (2014) e o ZIKA (2016). Estes acontecimentos demandam o reencontro da ciência da saúde com a ciência da cidade como campos de produção e difusão de conhecimentos estratégicos, que sustentem um projeto que articule a Reforma Sanitária com a Reforma Urbana.

Pensar estrategicamente implica também considerar as possibilidades das políticas sanitárias e urbanas, para além de seus papéis na provisão de bens e serviços que criem um sistema de proteção social aos novos ciclos pandêmicos. “O rastro da disseminação da pandemia encontrou nações fragilizadas pela perda da soberania sobre seus complexos industriais de saúde e pela existência de grandes cidades precárias em sua organização e funcionamento, como consequência da substituição do planejamento urbano pela governança pró-mercado”, detalha Luiz Cesar Ribeiro.

Segundo o coordenador nacional do Observatório, as sociedades estão defrontadas ao desafio da construção de políticas estratégicas para a saúde. É necessário que as cidades ofereçam mecanismos e instituições capazes de enfrentar os riscos ambientais, sanitários e sociais decorrentes das atuais mudanças disruptivas. “As políticas vêm revelando os efeitos negativos que promoveram a globalização liberal das economias nacionais e fragilizaram seus sistemas de proteção social. Em especial, nas esferas do trabalho, da moradia, da organização espacial das cidades e dos padrões da sociabilidade urbana”, pontua Ribeiro.

Sobre os convidados

  • José Carvalho de Noronha – médico sanitarista, coordenador Executivo do Projeto Brasil Saúde Amanhã e pesquisador da Fundação Oswaldo Cruz (Fiocruz).
  • Nabil Bonduki – urbanista e professor da Faculdade de Arquitetura e Urbanismo da Universidade de São Paulo (FAUUSP).
  • Ricardo Dantas – geógrafo e pesquisador da Fundação Oswaldo Cruz (Fiocruz), coordenador do Projeto Avaliação do Desempenho do Sistema de Saúde e colaborador do Projeto Brasil Saúde Amanhã.
  • Roberto Falanga – pesquisador do Instituto de Ciências Sociais da Universidade de Lisboa (ULisboa), participou da elaboração do relatório “COVID-19 – Preparar as Cidades para Riscos Globais”.

Inscrições e contribuições prévias

As inscrições para emissão de certificado já estão encerradas, mas é possível acompanhar os debates ao vivo através do nosso canal no Youtube. Também é possível enviar contribuições prévias, como perguntas ou comentários, relacionados aos dossiês abordados.

O envio, no formato de texto (máx. 500 palavras), pode ser feito até 24 horas antes da atividade e deverá ser encaminhado para o e-mail sec.academica@observatoriodasmetropoles.net (escrever no título “CONTRIBUIÇÃO CICLO CADERNOS METRÓPOLE”).

Programação

05/08 – Mesa de Abertura | A Metrópole e a Covid-19: presente e futuro

  • Abertura: Lucia Bógus
  • Organizador: Luiz Cesar de Queiroz Ribeiro
  • Convidados: José Noronha, Nabil Bonduki, Ricardo Dantas e Roberto Falanga

12/08 – Dossiê 01 | A Metrópole e a Questão Ambiental

  • Organizador: Pedro Roberto Jacobi (Universidade de São Paulo)
  • Debatedora: Angélica Benatti Alvim (Universidade Presbiteriana Mackenzie)

19/08 – Dossiê 02 | A Metrópole e a Gestão das Águas

  • Organizadora: Ana Lúcia Britto (Universidade Federal do Rio de Janeiro)
  • Debatedora: Ricardo Moretti (Universidade Federal do ABC)

26/08 – Dossiê 03 | Metropolização: Dinâmicas, Escalas e Estratégias

  • Organizadora: Olga Freitas Firkowski (Universidade Federal do Paraná)
  • Debatedora: Regina Tunes (Universidade do Estado do Rio de Janeiro)

02/09 – Dossiê 04 | Macroeconomia e Desenvolvimento Metropolitano, Regional e Local

  • Organizador: Alexandre Abdal (Fundação Getúlio Vargas)
  • Debatedora: Hipolita Siqueira de Oliveira (Universidade Federal do Rio de Janeiro)

09/09 – Dossiê 05 | Disputas Político-Conceituais sobre a Governança Metropolitana

  • Organizador: Alexsandro Cardoso da Silva (Universidade Federal do Rio Grande do Norte)
  • Debatedor: Francisco Fonseca (Pontifícia Universidade Católica de São Paulo)

16/09 – Dossiê 06 | O Ativismo Urbano Contemporâneo: resistências e insurgências à ordem urbana neoliberal

  • Organizador: Luciano Fedozzi (Universidade Federal do Rio Grande do Sul)
  • Debatedora: Lívia Miranda (Universidade Federal de Campina Grande)

Saiba mais em: ofuturodasmetropoles.observatoriodasmetropoles.net.br