O Observatório de Remoções, projeto coordenado pelo LabCidade (FAUUSP) em parceria com o LabJuta (UFABC) e com o Observatório de Conflitos Fundiários (UNIFESP), divulga o primeiro balanço trimestral de 2021 sobre as remoções e ameaças de remoção na Região Metropolitana de São Paulo.

O relatório mostra que entre janeiro e março de 2021 houve um crescimento do número de famílias e indivíduos que perderam suas casas em função de remoções coletivas. No período, que coincidiu com o aumento de infectados e internados por COVID-19 (a chamada segunda onda), foram 354 famílias removidas e 8.463 ameaçadas de remoção na Região Metropolitana de São Paulo.

Apenas durante os três primeiros meses de 2021, o grupo identificou 49 novos casos envolvendo remoções e ameaças. Dentre estes, 10 foram remoções e 39 se referem a novas ameaças de remoção – áreas em que as famílias podem sofrer remoção a qualquer momento. Em 2020, no mesmo período, foram 3 remoções e 23 ameaças de remoção. Ou seja, mesmo diante da gravidade da pandemia, as remoções aumentaram e as pessoas seguem tendo seus direitos violados. 

Confira a análise completa no site do LabCidade, acesse: www.labcidade.fau.usp.br