Nota da Reitoria da UFRJ em defesa da Uerj

Imagem de um dos Prédios da Uerj

A equipe da Rede INCT Observatório das Metrópoles se solidariza com a luta de docentes, pesquisadores, técnicos e estudantes da Universidade Estadual do Rio de Janeiro (Uerj) e outras instituições que estão sofrendo com o estrangulamento financeiro imposto pelo Governo do Estado do Rio de Janeiro. Em razão disso, divulgamos as notas da Universidade Federal do Rio de Janeiro (UFRJ), da Sociedade Brasileira para o Progresso da Ciência (SBPC) e da Academia Brasileira de Ciência (ABC). É fundamental, nesse contexto de crise econômica e política, que as instituições científicas atuem de forma conjunta para fortalecer a Ciência brasileira e garantir as suas conquistas.

NOTA DA REITORIA DA UFRJ EM DEFESA DA UERJ

A Reitoria da Universidade Federal do Rio de Janeiro (UFRJ) manifesta extrema preocupação com as condições financeiras impostas à Universidade do Estado do Rio de Janeiro (Uerj), Universidade Estadual do Norte Fluminense (Uenf) e Fundação Centro Universitário da Zona Oeste (Uezo) pelo governo do estado do Rio de Janeiro. O estrangulamento financeiro determinado a essas instituições não se justifica, pois resulta de políticas lesivas ao povo do estado do Rio de Janeiro, como isenções tributárias realizadas sem fundamentos, obras superfaturadas e enorme sonegação fiscal.

Em nome de toda a comunidade acadêmica da UFRJ, a Reitoria solidariza-se com docentes, pesquisadores, técnicos-administrativos e estudantes das referidas instituições na luta pela superação da crise em curso. A crise da Uerj, Uenf e Uezo repercute na produção do conhecimento científico rigoroso do país e, em particular, do estado do Rio de Janeiro, comprometendo as importantes colaborações entre essas instituições e a UFRJ e demais universidades e centros de pesquisa públicos.

Comprometidas com a oferta de ensino superior público, gratuito, inclusivo e de elevada qualidade, a Uerj, Uenf e Uezo são patrimônios da sociedade brasileira e têm cumprido importante papel na defesa dos direitos humanos fundamentais para o bem viver dos povos. A UFRJ reafirma sua confiança em que a mobilização da comunidade científico-acadêmica fortalecerá as lutas de todos aqueles que recusam saídas privatizantes e o desrespeito ao princípio constitucional da gratuidade, um valor que deve ser permanentemente revigorado.

Roberto Leher — Reitor da UFRJ

SBPC e ABC pedem a governador do Rio atenção às universidades estaduais

A SBPC e a Academia Brasileira de Ciências (ABC) encaminharam, no dia 16 de janeiro, uma carta ao governador do Rio de Janeiro, Luiz Fernando Pezão, para manifestar preocupação com a situação financeira das universidades do Estado. No documento, as instituições pedem de atenção especial do governo para, além da Uerj (conforme documento encaminhado na última semana), duas outras universidades fluminenses: a Fundação Centro Universitário Estadual da Zona Oeste (Uezo) e a Universidade Estadual do Norte Fluminense (Uenf).

“UERJ, UEZO e UENF têm que continuar sua missão de formar profissionais para disponibilizar recursos humanos qualificados para que as instituições públicas e privadas e as empresas possam continuar funcionando a contento e progredindo. Ainda, as camadas mais carentes da população precisam continuar contando com os serviços de excepcional qualidade oferecidos por essas três universidades”, dizem a SBPC e a ABC na carta.

O documento pode ser acessado aqui.

Leia também:

Alteração no orçamento da Fapesp marca mais um retrocesso para o País

 

 

Tags: , ,