O site do Índice de Bem-Estar Urbano (IBEU) passou por uma reformulação e está com uma nova identidade visual. Agora a consulta aos dados está mais dinâmica, com mapas e ranking interativos, e as opções de download incluem cartogramas, tabelas, shapefiles, além de análises e livros em PDF. A nova versão do site apresenta, além da página inicial, os ícones “Sobre o IBEU”, “IBEU Global”, “IBEU Local”, “IBEU Municipal” e “Clipping”.

O IBEU mensura o nível das condições urbanas necessárias para se viver nas cidades, especialmente nos grandes centros urbanos do país. Com a padronização da identidade visual dos sites da rede, buscou-se trabalhar dinâmicas de formato diferente, pois existe a perspectiva de futura atualização do índice, condicionada, no entanto, à realização e posterior divulgação dos dados do Censo 2021.

Todos os dados utilizados na construção do IBEU foram decorrentes do Censo Demográfico do IBGE, realizado em 2010, e o projeto é de suma importância para a pesquisa urbano-metropolitana. O IBEU é constituído por vinte indicadores que estão organizados em cinco dimensões urbanas: mobilidade, condições ambientais, condições habitacionais, atendimento de serviços coletivos e infraestrutura. A construção ocorreu sob três perspectivas, segundo sua abrangência espacial: IBEU Global, uma comparação entre as 15 principais metrópoles do país (São Paulo, Rio de Janeiro, Brasília, Belo Horizonte, Curitiba, Florianópolis, Porto Alegre, Campinas, Grande Vitória, Goiânia, Salvador, Recife, Fortaleza, Belém e Manaus); IBEU Local: comparação das condições urbanas observadas nas diferentes áreas de ponderação (bairros) internas de cada região metropolitana e o IBEU Municipal: comparação entre todos os municípios brasileiros.

Desde meados do fim do ano passado, a equipe de Comunicação, formada por Tuanni Borba (gestora do grupo), Laura Pechman (responsável pelo audiovisual) e Diene Ghizzo (jornalista) – todas pesquisadoras vinculadas ao Observatório das Metrópoles, juntamente com o coordenador do Núcleo Rio de Janeiro, Marcelo Ribeiro, reuniram-se semanalmente com Renan de Freitas, programador e integrante do Vértice Coletivo, em um processo de reflexão conjunta para iniciar essa atualização.

Transformações na Ordem Urbana

No âmbito do projeto de padronização da identidade visual do Observatório das Metrópoles na web, o site da série “METRÓPOLES: transformações na ordem urbana” também passou por uma reformulação. Os 14 livros da série estão disponíveis para download em PDF e ePUB. Além disso, é possível realizar consulta a partir dos autores e das temáticas abordadas nas obras, que incluem a organização social do território, demografia, rede urbana, dinâmicas de metropolização, moradia, mobilidade urbana, governança metropolitana, bem-estar urbano, entre outros.

Esta série consolida um trabalho de mais de 15 anos, em rede multidisciplinar, de produção de conhecimento científico, de metodologias e ferramentas para a pesquisa da questão metropolitana e mostra o compromisso e o esforço dos pesquisadores do Observatório para a produção de conhecimento científico relacionado ao planejamento urbano e áreas afins. No total, são 14 livros, 169 capítulos e cerca de 270 autores das mais variadas áreas do saber analisando as transformações urbanas das principais metrópoles do Brasil no período 1980-2010.

 Acesse: transformacoes.observatoriodasmetropoles.net.br