Publicado na Revista Sociologia e Antropologia, vinculada ao Instituto de Filosofia e Ciências Sociais (IFCS) da Universidade Federal do Rio de Janeiro (UFRJ), o artigo “Urban policies, mobility and gentrification in two neighbourhoods of Belo Horizonte” (“Políticas urbanas, mobilidade e gentrificação em dois bairros de Belo Horizonte”) investiga as relações entre as políticas urbanas e a mobilidade residencial com os processos gentrificadores do espaço.

Para tanto, o estudo analisa dois bairros de Belo Horizonte (Santa Tereza e Anchieta) a partir do levantamento de vários tipos de dados, tais como os da Pesquisa de Origem e Destino, que identificam a mobilidade residencial; os do Censo Demográfico sobre domicílios e moradores; os da Prefeitura sobre a produção imobiliária e as políticas públicas urbanas vigentes, bem como dados qualitativos, oriundos de entrevistas e observação nos bairros.

Bairros Anchieta e Santa Tereza, em Belo Horizonte.

Escrito por Luciana Teixeira de Andrade (PUC Minas) e Jupira Gomes de Mendonça (UFMG), ambas coordenadoras do Núcleo Belo Horizonte do Observatório das Metrópoles, o artigo também apresenta notas sobre o conceito de gentrificação, identificando as suas aplicações no contexto nacional e internacional.

Nas conclusões, a autoras apontam que os processos analisados apresentam diferenças: em Santa Tereza, as políticas urbanas implementadas como resposta à mobilização dos moradores têm conseguido barrar a gentrificação; já no Anchieta, a maior liberalidade das políticas urbanas, que não suscitou nos moradores reações organizadas, tem permitido uma renovação em algumas partes do bairro, identificadas como gentrificação por nova construção.

Para conferir o artigo completo (em inglês), CLIQUE AQUI.