Alagados, Trenchtown, Favela da Maré: o Urbanismo e as desigualdades de moradia nas cidades” é o título do novo episódio do Programa Conversa com Ciência, que traz uma entrevista com Renato Pequeno, pesquisador do Observatório das Metrópoles Núcleo Fortaleza e professor da Universidade Federal do Ceará (UFC).

Na entrevista, realizada por José de Paula Barros Neto (UFC), Pequeno falou sobre as pesquisas desenvolvidas no Laboratório de Estudos da Habitação (LEHAB), onde coordena atividades que têm como foco a análise das condições de moradia, abrangendo os diferentes agentes da produção da habitação e evidenciando as respostas formuladas em termos de políticas públicas.

Pequeno também falou sobre extensão universitária e destacou as contribuições do LEHAB para o fortalecimento dos movimento sociais na luta pela moradia, através do desenvolvimento e aplicação de cursos de formação, que oferecem capacitação para aprimorar a incidência política desses atores na luta pelos seus direitos.

Confira a apresentação do episódio:

Já dizia Chico Science que “a cidade não para, a cidade só cresce”. Cantada em versos, descrita em prosa, as condições das cidades brasileiras são também um prato cheio para as pesquisas em Urbanismo. O professor Renato Pequeno, coordenador do Laboratório de Estudos da Habitação (Lehab), da UFC, detalha pra gente neste episódio do Conversa com Ciência como suas investigações aliam pesquisa científica e extensão universitária para evidenciar as desigualdades sociais reveladas pelas condições de moradia numa metrópole como Fortaleza. Sabe o que é um assentamento urbano precário? Pois embarca nesse episódio e vamos descobrir.

O Programa Conversa com Ciência é uma iniciativa da Fundação de Apoio a Serviços Técnicos, Ensino e Fomento a Pesquisas (Fundação Astef), vinculada à Universidade Federal do Ceará, e da Sociedade Brasileira para o Progresso da Ciência (SBPC). O projeto visa produzir uma série de conteúdos voltados à divulgação científica do que é realizado no cenário acadêmico local, utilizando as mídias digitais como canal para sua propagação.

Saiba mais em: fastef.ufc.br