Marcando o encerramento da disciplina nacional “As Metrópoles e a Ordem Urbana Brasileira: os desafios do direito à cidade”, promovida pelo Observatório das Metrópoles desde setembro de 2020, ocorrerá na sexta-feira (29), às 14h30, a mesa redonda “A questão urbana, direito à cidade e o desenvolvimento nacional”.

Com transmissão ao vivo pelo Youtube, a atividade contará com participação de Luiz Cesar Ribeiro, professor do IPPUR-UFRJ e coordenador nacional do Observatório, Laura Carvalho, economista e professora da FEA-USP, e do arquiteto e urbanista Nabil Bonduki, professor da FAU-USP.

O objetivo da mesa é refletir sobre a superação das crises escancaradas pela pandemia e a construção de alternativas baseadas na coesão social, tendo como campo as nossas cidades e mais centralmente os territórios populares disseminados nas metrópoles. Como argumenta Luiz Cesar Ribeiro no texto “Coronavírus e as cidades brasileiras em estado grave“, a pandemia da COVID-19 acentua e dramatiza a prova histórica da sociedade brasileira para manter-se como Nação que controla o seu futuro:

Seremos capazes de contornar esta ameaça e sairmos fortalecidos como Nação? Enfrentá-la implica em retomarmos o compromisso social de solidariedade, proteção e reformas sociais que germinaram nos anos 1980, se traduzindo na Constituição de 1988 – nosso primeiro real Contrato Social – e experimentado em políticas públicas nos anos do ensaio neodesenvolvimentista. E, simultaneamente, abandonarmos o enlouquecido projeto ultraliberal de transformar o Brasil em uma sociedade de mercado como versão radicalizada da experiência chilena do período Pinochet“, afirma Ribeiro.

Acompanhe no dia 29 de janeiro (sexta-feira), às 14h30, esse debate na mesa “A questão urbana, direito à cidade e o desenvolvimento nacional”. Haverá transmissão ao vivo e interação via chat em nosso canal no Youtube, acesse: www.youtube.com/ObsMetropoles

Sobre os convidados

Laura Carvalho é doutora em economia pela New School for Social Research, professora do Departamento de Economia da FEA-USP e pesquisadora líder do Grupo de Pesquisa em Macroeconomia das Desigualdades (MADE). Lançou no ano passado o livro “Curto-circuito: o vírus e a volta do Estado”, onde defende a necessidade de se repensar o papel do Estado para superar carências históricas que a pandemia tornou ainda mais evidentes. A autora apresenta cinco funções do Estado que o contexto pandêmico ajudou a revelar. São elas: estabilizador da economia, investidor em infraestrutura física e social, protetor dos mais vulneráveis, provedor de serviços à população e, por fim, empreendedor.

Nabil Bonduki é doutor em arquitetura e urbanismo pela Universidade de São Paulo. Professor de Planejamento Urbano da FAU-USP e por duas vezes ocupou o cargo de vereador em São Paulo. Também já foi Superintendente de Habitação de São Paulo (1989-1992), Secretário Municipal de Cultura (2014-2016) e, no governo federal, foi Secretário de Ambiente Urbano do Ministério do Meio Ambiente (2011-2012). Organizou em 2018 o livro “A luta pela reforma urbana no Brasil”, disponível em nossa Biblioteca Digital. A obra resgata a memória da reforma urbana no Brasil, desde as primeiras iniciativas para controlar os aluguéis, na chamada era Vargas, até as experiências mais recentes relacionadas à implementação do Estatuto da Cidade e, em especial, aos planos diretores no início do século XXI.