Em entrevista para O Globo, o pesquisador Pablo Lira, coordenador do Núcleo Vitória do Observatório das Metrópoles, discorda do decreto que flexibiliza a posse de arma de fogo e defende que o foco da política pública deve ser o desarmamento dos criminosos.

Pablo Lira foi um dos organizadores da publicação Temas Interdisciplinares em Segurança Pública – Volume II. Confira a sinopse do livro:

“A organização do Volume 2 da Coleção Justiça, Direitos Humanos e Criminologia do Mestrado em Segurança Pública da Universidade Vila Velha (UVV) é composto por seis capítulos, os quais foram escritos por vários pesquisadores e/ou professores que se debruçam sobre o tema da Segurança. Afim de alcançar os objetivos traçados para a proposta da referida obra, organizou-se o livro em seis capítulos. No Capítulo 1, analisou-se o Programa Educacional de Resistência às Drogas e à Violência na opinião dos professores da escola. Já no Capítulo 2, foram investigados investigou aspectos da ressocialização do preso por meio do trabalho e da educação. No Capítulo 3, abordou se a temática a mulher e o imperativo século das luzes. Por sua vez o Capítulo 4, analisou o acesso as armas para o cidadão comum: a efetividade do estado e a sensação de insegurança. O Capítulo 5, abordou a justiça, direitos humanos e cidadania: o consenso de Washington e a inclusão do Brasil no ideário neoliberal. E por fim, o Capítulo 6 analisa da teoria do “contrato social” rumo ao “garantismo” frente o ideal de protecionismo integral social”.

Visite o site da Editora CRV: AQUI (Volume 1) e AQUI (Volume 2).