Seminário Cidade, Política e Desigualdades Educacionais

O Observatório Educação e Cidade promove, nos dias 5 e 6 de dezembro, o Seminário Cidade, Política e Desigualdades Educacionais com o propósito de debater temas como segregação residencial, violência e segregação escolar; acesso, permanência e fluxos de alunos entre escolas e indicadores educacionais. O evento contará com a participação de Ruben Kaztman, Gregory Elacqua, Ignacio Cano, Luiz Cesar de Queiroz Ribeiro, entre outros. Na abertura do seminário será lançada a plataforma de dados educacionais georreferenciada LATITUDE, com indicadores educacionais oficiais do município do Rio de Janeiro.

O Seminário Cidade, Política e Desigualdades Educacionais é uma promoção dos Observatórios da Educação da UFRJ, UERJ, PUC Rio UFJF, com apoio da FAPERJ, Capes e INEP. Durante o encontro serão debatido os seguintes temas:

– FATORES EXTERNOS E OPORTUNIDADES EDUCACIONAIS: segregação residencial, violência e segregação escolar;

– FATORES MEDIADORES: acesso, permanência e fluxos de alunos entre escolas e turmas;

– INDICADORES EDUCACIONAIS, qualidade da educação e políticas de responsabilização;

– SISTEMAS DE AVALIAÇÃO, indicadores educacionais e cotidiano da escola;

Na abertura do seminário ocorrerá o lançamento da plataforma de dados educacionais georreferenciada LATITUDE – plataforma digital de informações acerca dos indicadores educacionais oficiais do município do Rio de Janeiro, para facilitar o acesso, a leitura e interpretação de dados no campo educacional.

O LATITUDE é fruto de uma parceria entre o Observatório Educação e Cidade e o Instituto Desiderata. O instrumento tem como foco a disseminação de dados educacionais e auxílio à sua compreensão e uso na análise e planejamento da educação escolar no Rio de Janeiro. É voltado, primeiramente a profissionais de educação e pretende ser mais uma ferramenta para estes. Apresenta as informações na forma de gráficos, tabelas e textos explicativos e instigantes da reflexão sobre as realidades escolares. O acesso por uma interface geográfica procura ser atraente e chamar atenção sobre aspectos da organização urbana de nossa cidade.

Para a inscrição no Seminário Cidade, Política e Desigualdades, acesse o endereço:

http://www.3ipgestao.com.br/desiderata/

 

OBSERVATÓRIO EDUCAÇÃO E CIDADE

O Observatório Educação e Cidade é um núcleo de pesquisa interdisciplinar e interinstitucional que tem como temática central de estudo as desigualdades de oportunidades educacionais, considerando de forma integrada os diferentes contextos e agentes atuantes nesse processo: o da cidade, o da escola e o da família. O Observatório reúne pesquisadores de diversas instituições (PUC-Rio, UFRJ, UERJ) e de diferentes áreas do conhecimento. Atualmente o grupo desenvolve diferentes projetos de pesquisa com fomento da FAPERJ, CNPQ, INEP e CAPES.

Dentre os objetivos das pesquisas destacam-se:

• Investigar o impacto da segregação residencial e o funcionamento do “quase mercado” da educação sobre a distribuição da geografia de oportunidades educacionais no contexto de grandes cidades brasileiras e também da Região Metropolitana do Estado do Rio de Janeiro;

• Realizar o monitoramento do analfabetismo, letramento e numeramento no Estado do Rio de Janeiro;

• Mapear o grau de apropriação e conhecimento dos sistemas de informação e de avaliação para o planejamento educacional;

• Realizar um programa de formação sobre o uso de sistemas de informação e de avaliação para o planejamento educacional.

OBSERVATÓRIO DAS METRÓPOLES

ESTUDOS SOBRE SEGREGAÇÃO RESIDENCIAL E OPORTUNIDADES EDUCACIONAIS

O Observatório das Metrópoles tem pesquisado (Linha II) o impacto da segregação residencial sobre as oportunidades educacionais por meio do projeto “Organização Social do Território e Desigualdades de Oportunidades Educativas”, dividido em duas frentes de pesquisa. A primeira “Escola e o efeito-vizinhança: o impacto da segregação residencial sobre o desempenho escolar de alunos do ensino fundamental” trata do “efeito-vizinhança” ou impacto da divisão social do território a partir da demanda da educação. Isto é, concentra-se na explicação do efeito da vizinhança sobre os resultados escolares dos alunos a partir de mecanismos de socialização.

Já a segunda “Políticas educacionais e segregação residencial: efeitos sobre a estratificação das escolas de ensino fundamental e médio” concentra-se na oferta da educação, isto é, trata do efeito da segregação residencial e de políticas educacionais sobre a estratificação das escolas. A proposta neste primeiro projeto tem sido responder as seguintes questões: (i) a segregação residencial característica dos aglomerados urbanos metropolitanos exerce impacto sobre resultados escolares, controlando pelo efeito da família e da escola? (ii) que mecanismos do efeito-vizinhança podem ser observados no contexto brasileiro? (iii) os diferentes modelos de segregação dessas cidades implicam em diferentes impactos sobre resultados escolares?

Entre os resultados, o instituto lançou em 2008 o livro “A Cidade contra a Escola: segregação urbana e desigualdades educacionais em grandes cidades da América Latina”. A publicação contou com a colaboração do professor Ruben Kaztman e o Grupo de Estudos sobre Segregação Urbana (GESU) da PUC Uruguai; e os professores Bryan Roberts e Robert Wilson, da Universidade do Texas, em Austin.

Faça no link a seguir o download de “A Cidade contra a Escola?”.

Outro resultado importante da Rede Observatório das Metrópoles é o livro “Desigualdades Urbanas, Desigualdades Escolares” o qual faz parte de um conjunto mais amplo de investigações que procuram evidenciar os limites urbanos à diminuição sustentável das desigualdades sociais nas grandes cidades brasileiras. Falando das desigualdades de oportunidades escolares, não obstante o esforço de universalização do ensino básico e do aumento da eficácia escolar, os artigos que compõem a publicação estudam os efeitos dos processos de segregação residencial e segmentação territorial na reprodução das desigualdades educativas.

Com organização de Luiz Cesar Ribeiro, Mariane Koslinski, Fatima Alves e Cristiane Lasmar, o livro Desigualdades Urbanas, Desigualdades Escolares é fruto de uma proveitosa parceria que conta com um histórico de colaboração prévia: o Laboratório de Avaliação da Educação, do Departamento de Educação da PUC – Rio; IFCH/UERJ; IFCS/UFRJ; Faculdade de Educação UFRJ.

O livro apresenta os resultados de quatro anos de pesquisa do Observatório Educação e Cidade sobre os efeitos dos processos de divisão social da cidade nas reais chances de escolarização de crianças e jovens do sistema público de ensino fundamental e traz estudos de pesquisas docente e discente que ilustram a forma como a violência urbana e a segregação resindencial podem afetar, por exemplo, a busca por melhores escolas.

Faça no link a seguir o download de  “Desigualdades Urbanas, Desigualdades Escolares”.

 

 Última modificação em 28-11-2013 14:53:07