Urban Transformations in Rio de Janeiro: Development, Segregation, and Governance

A Rede INCT Observatório das Metrópoles dá mais um passo no trabalho de difusão científica internacional da temática metropolitana brasileira com o lançamento do ebook “Urban Transformations in Rio de Janeiro: Development, Segregation, and Governance”, pela editora alemã Springer. O ebook aborda a evolução histórica da metamorfose urbana do Rio de Janeiro a partir da investigação sobre os impactos das transformações econômicas, sociais e políticas no Brasil e na metrópole fluminense nos últimos 30 anos (1980-2010). Segundo o professor Luiz Cesar de Queiroz Ribeiro, editor da publicação, a conclusão do estudo aponta para a manutenção de um modelo de organização do território no Rio de Janeiro baseado na segregação residencial e na reprodução das relações de poder social, econômico e político que sustentam a sua ordem urbana.

Organizado pelo professor titular do Instituto de Pesquisa e Planejamento Urbano e Regional (IPPUR/UFRJ) e vice-coordenador nacional do Observatório das Metrópoles Luiz Cesar de Queiroz Ribeiro, “Urban Transformations in Rio de Janeiro” é uma coletânea de 20 capítulos, assinados por 24 pesquisadores da rede fluminense do Observatório, que oferece uma abordagem crítica sobre o desenvolvimento metropolitano do Rio nas últimas três décadas.

O estudo sobre o Rio de Janeiro é baseado na síntese da pesquisa conduzida pelo Observatório das Metrópoles no período 2009-2015 como parte do programa comparativo “Metrópoles: coesão social, território e governança”, pesquisa comparativa entre 14 diferentes contextos metropolitanos.

Essa pesquisa resultou depois na publicação da coleção “Metrópoles: transformações na ordem urbana” (disponível para download), que representa o maior resultado da Rede Nacional Observatório das Metrópoles dentro do Programa Institutos Nacionais de Ciência e Tecnologia (INCT/CNPq/MCT&I) e dos 20 anos de acúmulo de experiência e conhecimento na investigação da temática metropolitana. São 14 livros, 169 capítulos e cerca de 270 autores das mais variadas áreas do saber analisando as transformações urbanas das principais metrópoles do Brasil no período 1980-2010.

PADRÃO DE SEGREGAÇÃO DA METRÓPOLE FLUMINENSE

Mas quais as marcas da dinâmica de formação e organização da metrópole do Rio de Janeiro? Quais as forças de poder político e econômico que foram responsáveis por conformar esse território? E qual o papel do poder econômico e político para a manutenção de um território urbano partido e segregado? O ebook “Urban Transformations in Rio de Janeiro” aborda essas questões e busca apontar para a comunidade internacional os padrões de organização urbana presente no Brasil — no caso o padrão da metrópole fluminense, uma das com maior visibilidade e projeção internacional e sede dos Jogos Olímpicos 2016.

O Observatório das Metrópoles interpreta a dinâmica socioterritorial da metrópole do Rio de Janeiro a partir de um padrão de segregação residencial complexo a partir de duas escalas: na microescala, com a proximidade territorial e a distância social entre as classes sociais, evidenciadas pela presença das favelas nas áreas de concentração do poder econômico e político e, na macroescala, com a concentração das camadas populares nas sucessivas periferias formadas a partir do núcleo da cidade do Rio de Janeiro.

Esse padrão de segregação está presente há muitas décadas na dinâmica da metrópole fluminense, e é gerador de desigualdades urbanas. De um lado, áreas com elevada concentração dos grupos que ocupam as posições mais elevadas da estrutura social constituem também um poder econômico e político que tende a influenciar a seu favor as decisões públicas em matéria de alocação de investimentos, se apropriando da maior parcela dos benefícios decorrentes, em termos de bem-estar urbano e oportunidades sociais. Ao mesmo tempo, esses grupos tendem também a ser beneficiados em termos de riqueza patrimonial, uma vez que a alocação seletiva dos investimentos urbanos produz impactos diferenciais na valorização da moradia e do solo urbano.

“O resultado dessa disputa é a elevação do preço da moradia e da terra nas áreas segregadas e privilegiadas pelos investimentos urbanos, o que leva ao deslocamento desses espaços dos grupos sociais que ocupam posições inferiores da estrutura social e que, portanto, desfrutam de menor poder econômico e político, acentuando e reproduzindo a segregação”, explica Luiz Cesar Ribeiro e completa:

“A equipe do Observatório das Metrópoles tomou esse padrão de segregação residencial já verificados em estudos da década de 1970 para analisar as transformações urbanas da metrópole do Rio de Janeiro. A pergunta é se esse padrão de organização social do território havia se modificado, se ocorreram inflexões ou mudanças de rumo nessa forma de organização, analisando ainda a relação do Rio de Janeiro com os momentos históricos do Brasil e do mundo”, aponta Ribeiro.

A conclusão  do livro é que, apesar das transformações econômicas, sociais e políticas ocorridas no período 1980-2010, verifica-se a manutenção desse processo de segregação residencial.

“Fecha-se então o círculo da desigualdade: a segregação do poder econômico, social e político se transformando em poder de segregação expresso na capacidade das classes proprietárias em ordenar a seu favor a ocupação e o uso do solo urbano, isto é, tornar seletiva a apropriação do território e dos recursos nele inscritos – bem-estar, renda, riqueza, oportunidade e poder”, explica Luiz Cesar Ribeiro.

“Em consequência, os padrões de organização do território expressos nas duas gramáticas de segregação – distância social/proximidade territorial, distância social/distância territorial –, resultam não da ausência de desenvolvimento, mas da reprodução das relações de poder social, econômico e político que sustentam a ordem urbana no Rio de Janeiro”.

ebook “Urban Transformations in Rio de Janeiro” demonstra –  a partir da análise de temas como moradia e mercado imobiliário, estrutura produtiva, demografia, mobilidade urbana, bem-estar urbano, governança, saneamento básico – que esse padrão de segregação residencial na metrópole fluminense continua vigente e reproduz a desigualdade historicamente presente em seu território.

Acesse o ebook no site da Editora Springer.

Leia também a versão em português:

Rio de Janeiro: transformações na ordem urbana

 

Última modificação em 27-04-2017 14:38:16

 

Tags: , , ,