População, mobilidade e arranjos espaciais no Censo 2010

População, mobilidade e arranjos espaciais no Censo 2010

O Instituto Paranaense de Desenvolvimento Econômico e Social (Ipardes) divulga no seu Caderno de Estudos e Pesquisas o dossiê “População, mobilidade e arranjos espaciais”, no qual reúne artigos que tratam de alguns resultados do Centro Demográfico de 2010. Dois artigos têm abrangência nacional – “Arranjos espaciais: concentração e mobilidade que redesenham aglomerações e centros” e “Mobilidade Transfronteiriça”, sendo que nesse último são analisados os movimentos da imigração e emigração internacional, assim como a mobilidade pendular internacional, especialmente entre os municípios da faixa de fronteira do Brasil.

Diferentemente dos números anteriores, o Caderno Ipardes do 2º semestre de 2012 (divulgado no mês de dezembro) apresenta o dossiê intitulado “População, Mobilidade e Arranjos Espaciais no Censo de 2010”, composto por cinco artigos produzidos pelos pesquisadores do Núcleo de Estudos Populacionais e Sociais do Ipardes, sendo que alguns deles integram a rede de pesquisa INCT Observatório das Metrópoles.

No primeiro texto do dossiê, elaborado por Marisa Valle Magalhães e Anael Pinheiro de Ulhôa Cintra, com o título “As Trocas Migratórias entre Paraná e suas Regiões Metropolitanas com as Regiões Brasileiras nas Décadas Recentes”, é avaliada a dinâmica migratória entre as regiões metropolitanas paranaenses e o restante do País, a partir dos dados dos últimos censos demográficos.

Na sequência, no estudo “Movimentos Pendulares no Paraná”, Anael Pinheiro de Ulhôa Cintra, Paulo Roberto Delgado e Rosa Moura analisam, com base nos Censos de 2000 e 2010, os deslocamentos intermunicipais da população para trabalho e/ou estudo, que, indubitavelmente, devem ser considerados no processo de formulação de políticas públicas urbanas.

No terceiro trabalho, denominado “Mobilidade Transfronteiriça”, cujos autores são Nelson Ari Cardoso, Rosa Moura e Anael Pinheiro de Ulhôa Cintra, são examinadas a emigração e a imigração internacionais, além dos movimentos pendulares dos residentes no País em direção ao exterior, motivados por trabalho e/ou estudo.

O artigo que vem a seguir, “Arranjos Espaciais: Concentração e Mobilidade que Redesenham Aglomerações e Centros”, de Rosa Moura, Sachiko Araki Lira e Anael Pinheiro de Ulhôa Cintra, apresenta a identificação atualizada dos arranjos urbano-regionais brasileiros, com a aplicação de métodos quantitativos para a mensuração das relações entre os municípios.

Encerrando a seção temática, Anael Pinheiro de Ulhôa Cintra e Leonildo Pereira de Souza, no texto “Pessoas com Deficiência Severa na Região Sul do Brasil: Características da População Segundo os Censos 2000 e 2010”, traçam o perfil das pessoas com deficiência severa residentes na Região Sul do País, de modo a contribuir para a discussão das políticas públicas direcionadas a esse estrato da população.

Além do dossiê, dois outros artigos compõem o presente número do Caderno Ipardes: “Produtos Sustentáveis na Alimentação Escolar: o PNAE no Paraná”, de Ivo Barreto Melão, e “Relatos e Ecos da RIO+20”, por Cláudio Jesus de Oliveira Esteves. No primeiro, apresenta-se o Programa Nacional de Alimentação Escolar (PNAE), focando o recente incentivo à introdução de orgânicos na alimentação dos estudantes e a importância do programa para a agricultura familiar. Finalmente, o texto sobre a Rio+20 relata as atividades desenvolvidas na Conferência, com algumas considerações sobre a participação paranaense.

Para acessar a versão completa do dossiê “População, mobilidade e arranjos espaciais”, entre no site do Ipardes.

Última modificação em 10-01-2013 12:20:58

 

Tags: , , , ,