Saúde e a agenda global de desenvolvimento sustentável

Saúde e a agenda global de desenvolvimento sustentável

Neste artigo a profª Maria Inês Azambuja (UFRGS) defende a perspectiva da Saúde urbana que permite deslocar o foco do indivíduo para a proposição de “saúde em todas as políticas”. Segundo ela, investimentos em infraestrutura urbana, por exemplo, são fundamentais para a melhoria do nível de saúde da população brasileira, como foram na Europa no século 19 e nos EUA no século 20.

O artigo “Saúde urbana e a agenda global de desenvolvimento sustentável” foi publicado originalmente no site Brasil Debate. O Observatório divulga a análise a fim de ampliar a discussão sobre o papel do urbano no vida da sociedade, e por entender que políticas públicas para a cidade melhoram a qualidade de vida de todas as pessoas e diminuem os riscos de doenças da população.

Maria Inês Azambuja é professora do Departamento de Medicina Social da FAMED/UFRGS; integrante do Programa Saúde Urbana, Ambiente e Desigualdades (UFRGS) e pesquisadora do Núcleo Porto Alegre da Rede Observatório das Metrópoles.

 

Acesse no link a seguir o artigo completo “Saúde urbana e a agenda global de desenvolvimento sustentável”.

 

Leia também:

Saúde Urbana, metrópoles e desigualdades

 

 

Tags: , , ,