Cartas Urbanas — a luta pelo Direito à Cidade em Fortaleza

Cartas Urbanas — a luta pelo Direito à Cidade em Fortaleza

Assis e mais 80 famílias ocuparam o terreno onde hoje é a comunidade Raízes da Praia, consolidada há 7 anos em Fortaleza. Essa comunidade luta diariamente contra a inadequação habitacional, e a falta de acesso a serviços básicos e a ausência de políticas públicas que historicamente assolam a periferia das cidades brasileiras. Sua história, que representa uma parte da luta pelo direito à à moradia no país, é um dos destaques de “Cartas Urbanas” — websérie documental que tenta ampliar a discussão sobre o direito à cidade a partir da visão de seus moradores, do poder público e de pesquisadores. O INCT Observatório das Metrópoles, o LEHAB/UFC e o Coletivo Nigéria divulgam os 3 novos episódios da websérie, que apresentam novos cenários e novos personagens que trocam cartas pela cidade. A medida que as cartas vão circulando, várias Fortalezas se desenham perante os olhos dos espectadores.

Realizada em parceria pelo Laboratório de Estudos da Habitação (LEHAB/UFC/Observatório das Metrópoles, com coordenação do profº Renato Pequeno, e o coletivo Nigéria, a série teve sua estreia em abril de 2016, levando ao público três episódios de 13 min cada. Desta vez, com a mesma duração, foram produzidos mais três, completando a primeira minitemporada da obra.

A websérie “Cartas Urbanas” é mais um resultado do projeto “Planejamento urbano e direitos humanos no Brasil: implementação do direito à moradia e à cidade”, realizado pela Rede INCT Observatório das Metrópoles com patrocínio da Fundação Ford.

No Episódio 4 a irregularidade fundiária, o déficit e a inadequação habitacional, a falta de acesso a serviços básicos e a ausência de políticas públicas que historicamente assolam a periferia das cidades brasileiras ganham destaque a partir da visão dos moradores da ocupação Raízes da Praia, localizada na Praia do Futuro, e de movimentos sociais como o MTST, que vem lutando pelo seu direito à cidade.

No Episódio 5 é dado ênfase às parcerias realizadas entre setores privados e o poder público que têm sido moldadas a partir de uma lógica de flexibilização da legislação urbana, valorização imobiliária, e pouco retorno para a cidade e seus moradores. O cenário escolhido para este debate foi a Operação Urbana Consorciada da Lagoa do Papicu e a comunidade do Pau Fininho.

Já o Episódio 6 traz para discussão a volta dos grandes conjuntos habitacionais em áreas periféricas das cidades brasileiras tendo como exemplo o Cidade Jardim, empreendimento do programa MCMV que terá mais de 11 mil unidades habitacionais, localizado no bairro José Walter.

CARTAS URBANAS EP. 04 – Vazio Ocupado


Assis e mais 80 famílias ocuparam o terreno onde hoje é a comunidade Raízes da Praia, consolidada há 7 anos. Se está vazio, porque não pode morar? As ocupações ainda são criminalizadas no Brasil, mas os movimentos sociais seguem firmes na luta.

CARTAS URBANAS EP. 05 – Operação Urbana


Quando Rosângela chegou na comunidade Pau Fininho, não havia shopping e nem asfalto. Nos arredores de um bairro nobre da capital, o lugar acabou chamando atenção do setor imobiliário. Numa Operação Urbana Consorciada, a prefeitura cedeu o terreno e o setor privado se instalou. Mas as contrapartidas sociais dessa ”troca” ainda estão pendentes.

CARTAS URBANAS EP. 06 – Bairro Novo

Um novo bairro nasce na periferia de Fortaleza. No conjunto habitacional Cidade Jardim está previsto a construção de 17 mil unidades. 5 mil já estão prontas e uma delas é o novo lar de Ostérnia.

Etiquetado como:

 

Tags: , ,