Escrito por Alexandre Queiroz Pereira, Regina Balbino da Silva e Maria Clélia Lustosa Costa, pesquisadores do Observatório das Metrópoles Núcleo Fortaleza, o livro “A orla da cidade: praia, espaço público e lazer em Fortaleza” aborda o processo de apropriação do litoral fortalezense a partir das práticas de lazer.

Lançado pela Imprensa Universitária (UFC), a publicação destaca que os espaços litorâneos não podem ser entendidos apenas como componentes da estrutura das cidades litorâneas, sendo necessário compreender as formas de usos e assim visualizar como a sociedade se apropria desses espaços, explorando seus potenciais para utilizações diversas.

O livro está estruturado em três seções principais, além da introdução:

  • “As políticas públicas para o lazer na praia, no final do século XX e início do século XXI”;
  • “Qual a sua praia? As apropriações do litoral fortalezense”; e
  • “As ‘orlas’ de Fortaleza: as nuances do lazer praiano”.

A parte inicial contextualiza o processo de valorização do litoral de Fortaleza e sua consolidação como espaço de lazer. A intensificação da ocupação da orla para práticas de lazer e a construção da imagem turística da cidade desencadearam ações e políticas públicas, que foram discutidas, planejadas e executadas na área. A partir das últimas décadas do século XX e no início do século seguinte, as ações e políticas foram intensificadas. São descritas as principais intervenções urbanísticas voltadas para o lazer na orla, além de seus status (se foram concluídas, alteradas, ou nem saíram do papel) e como elas impulsionam e favorecem o processo de apropriação.

A seção seguinte trata das infraestruturas de lazer ao logo do litoral fortalezense. Nos 34 km de orla, várias atividades de lazer são desenvolvidas, desde o tradicional banho de mar a momentos de sociabilização, convívio e encontros, como na chamada Praia dos Crush, denominação popularizada pelos jovens para um trecho da Praia de Iracema.

Já a parte final do livro estabelece uma discussão a respeito da dinâmica do lazer na orla de Fortaleza. Além das intervenções urbanísticas descritas na seção anterior, outras ações são pensadas e realizadas no litoral, como atividades culturais, eventos comemorativos e infraestruturas físicas (equipamentos de esporte, por exemplo). Essas ações, na maioria das vezes, são gratuitas e atraem a população fortalezense para momentos de lazer à beira-mar.

A obra está disponível em nossa Biblioteca Digital, CLIQUE AQUI.