Nos dias 9, 10 e 11 de dezembro acontecerá o Encontro Nacional de Direitos Humanos à Água e ao Saneamento (ENDHAS), promovido pelo Observatório Nacional dos Direitos à Água e ao Saneamento (ONDAS). O evento acadêmico e popular contará com espaço para diferentes formas de apresentação da pesquisa e extensão universitária e valorização das lutas pelo direito humano à água e ao saneamento.

A programação e o desenho geral das atividades do ENDHAS incentivam a participação de movimentos sociais, sindicatos, ONGs, coletivos, cooperativas e demais agremiações e entidades alinhadas com os princípios do evento e suas linhas programáticas (confira aqui a programação).

No plano mais próximo das universidades e institutos de pesquisa, o encontro pretende abrigar relatos, análises, experiências e projetos afeitos ao tema da ampliação ou violação do acesso e do direito ao saneamento; à urbanização de assentamentos precários; ao saneamento rural e suas tecnologias e arranjos sociais; aos modelos de financiamento da política; ao debate das tecnologias inovadoras; ao debate sobre as tecnologias sociais; ao planejamento e às diretrizes governamentais de gestão de águas.

De modo a buscar maior interação entre a academia e a sociedade, movimentos sociais serão convidados a expor suas experiências através de relatos de lutas a favor do saneamento básico como direito humano, integrando as atividades do evento.

Submissão de trabalhos

Os interessados em apresentar trabalhos acadêmicos tem até o dia 10 de outubro para submeter a proposta em plataforma específica disponibilizada no site do evento. Os mesmos serão objeto de avaliação e seleção.

A submissão pode ser feita na categoria “Pesquisa” ou “Extensão”, dentro de uma das áreas temáticas:

  1. Acessibilidade econômica e tarifa social.
  2. Acompanhamento, avaliação e crítica aos processos de privatização.
  3. Saneamento em assentamentos precários e para populações em situação de vulnerabilidade.
  4. Saneamento rural e em comunidades tradicionais e indígenas.
  5. Dimensões identitárias no atendimento aos direitos humanos ao saneamento.
  6. Planejamento e regulação para assegurar o direito humano à água e ao saneamento.
  7. Modelos de prestação de serviço e o atendimento ao direito humano à água e ao saneamento.

São previstas ainda oficinas autogestionadas e comunicações livres, de modo a garantir acesso direto dos participantes à interlocução e às pautas das entidades participantes e grupos sociais. Pretende-se criar sinergia entre as diversas reivindicações, lutas e narrativas e arregimentar esforços e entidades em torno da água e do saneamento como Direito Humano no Brasil.

Saiba mais em: endhas.com