Grande mídia vs. coletivos midiativistas: a disputa de narrativas

Os movimentos sociais que levaram milhares às ruas da Islândia em 2009, da Tunísia, do Egito, da Espanha, da Inglaterra e dos Estados Unidos em 2011 e do Brasil em 2013 caracterizam-se por um amplo uso das plataformas digitais de comunicação.

A ocupação das ruas brasileiras desde o mês de junho de 2013 é a inspiração principal para o texto “Grande mídia versus coletivos midiativistas: a disputa de narrativas”.  Nesse texto, presente na sessão especial da 14ª edição da revista e-metropolis, Arthur Bezerra discute o papel das novas tecnologias de informação no contexto das grandes manifestações ocorridas no Brasil. De um lado, como aponta o artigo, a grande mídia – que continua exercendo papel fundamental na formação da opinião pública – e, do outro os diversos coletivos midiativistas – que oferecem narrativas independentes do mutualismo que orienta a relação entre Estado e grupos empresariais de mídia. Na perspectiva do autor, em que pese o grande desequilíbrio existente, há esperanças a respeito de maiores perspectivas de equilíbrio entre a informação produzida pelas diferentes fontes em questão.

Acesse o artigo:

http://www.emetropolis.net/

 

 

Última modificação em 11-12-2013 20:33:36

 

Tags: ,