A difusão de experiências práticas e medidas de enfrentamento à pandemia de COVID-19 no país tem mostrado uma catalisação de novas formas de atuação e mobilização das organizações da sociedade civil (OSC), especialmente daquelas concentradas na área de desenvolvimento e defesa de direitos e interesses, saúde e assistência social.

Pensando nisso, o Instituto de Pesquisa Econômica Aplicada (Ipea) lançou uma nota técnica com o objetivo de destacar os impactos imediatos que a crise causada pelo coronavírus tem imposto às OSCs brasileiras, apontar alternativas e refletir sobre perspectivas, em um esforço de contextualização a partir de mapeamentos e descrições de perfis das organizações em atividade no país, usando como fonte, especialmente, o Mapa das OSCs.

Intitulada “Os impactos da pandemia de COVID-19 nas organizações da sociedade civil: conjuntura, desafios e perspectiva“, a nota está dividida em duas partes principais. A primeira tem como proposta traçar um panorama contextual quantitativo das OSCs de saúde, assistência social, e desenvolvimento e defesa de direitos e interesses, bem como dos casos confirmados e de óbitos decorrentes da COVID-19, de acordo com território, população e IDH. A segunda parte se estrutura em subseções que discutem: 1) movimentações de recursos financeiros; 2) doações e mobilizações para pessoas em situação de vulnerabilidade e hospitais; 3) mudança estratégica nas atividades; 4) atos normativos e impactos jurídicos-legais; e 5) comunicação, visibilidade e advocacy.

Para acessar o documento completo, CLIQUE AQUI.