Observatório nos Jornais Le Monde Diplomatique e Libération (França)

Observatório nos Jornais Le Monde Diplomatique e Libération (França)

O INCT Observatório das Metrópoles tem ampliado a difusão da informação científica referente às transformações urbanas no Brasil junto aos veículos de imprensa internacionais. O professor Luiz Cesar Ribeiro concedeu entrevista ao Le Monde Diplomatique France e falou sobre o fenômeno da “financeirização imobiliária” no contexto dos megaeventos esportivos, e o modo como as cidades brasileiras têm sido reestruturadas para atender o chamado “empreendedorismo urbano”. Já o professor Adauto Cardoso, em entrevista ao Jornal Libération, analisou a evolução do Programa Minha Casa Minha Vida e os desafios para a política habitacional no país.

Segundo o coordenador nacional do Observatório das Metrópoles, Luiz Cesar Ribeiro, o Brasil é a “bola da vez” no mundo, por conta da sua economia, e da perspectiva dos megaeventos esportivos como Copa do Mundo 2014 e Jogos Olímpicos em 2016. Para o Le Monde Diplomatique France, Ribeiro afirmou que neste contexto, a especulação urbana visa controlar o território e dar garantias ao capital. “É necessário regularizar e regular a ocupação do solo a fim de permitir que o capital possa chegar nestas zonas informais, estabelecendo desse modo as bases jurídicas para a propriedade financeira; dito de outro modo, é preciso modernizar o país para permitir a entrada dos investidores. Essa é a realidade do Rio de Janeiro e de outras cidades brasileiras, o poder público atua para dar garantias para o capital financeiro”.

Esse fenômeno foi materializado pelo jornalista Jacques Denis (Le Monde) ao mostrar o começo da pacificação (UPPs) do Morro do Vidigal no Rio de Janeiro e, consequentemente, a valorização imobiliária. No Vidigal, por exemplo, um apartamento duplex situado na parte baixa era estimado em 50 mil reais em 2011; no final de 2012 o imóvel já custava 250 mil reais.

Veja a reportagem completa do Le Monde Diplomatique, intitulada “Rio de Janeiro endosse sa tenue olympique”.

Já a reportagem “Brésil: Avoir ma maison, c’était mon revê” foi publicada em dezembro de 2012 no Jornal Libération e trata das políticas sociais do governo brasileiro, em especial o Programa Minha Casa Minha Vida (MCMV). O professor Adauto Lúcio Cardoso, coordenador de um projeto pelo Observatório das Metrópoles de monitoramento do programa federal de habitação, comentou a importância de criação do programa para enfrentar o déficit habitacional brasileiro estimado em cerca de 5,5 milhões de unidades, sendo em torno de 1,5 milhões nas regiões metropolitanas. Desses totais, 90% correspondem a famílias em situação de pobreza, com renda na faixa de 0 a 3 salários mínimos.

Além disso, analisou os problemas enfrentados na primeira etapa do programa MCMV, como a periferização dos conjuntos habitacionais e a falta de qualificação das obras.  Todos esses temas – financeirização imobiliária, megaeventos esportivos, empreendedorismo urbano, programas habitacionais – fazem parte de um mesmo processo de transformação urbana e da requalifcação das cidades como cidades neoliberais.

Veja a reportagem “Brésil: Avoir ma maison, c’était mon revê”, do Jornal Libération.

Última modificação em 24-01-2013 00:42:03

 

Tags: , , , , ,