Vários eventos vêm impactando a nossa agenda de pesquisa por expressarem mudanças consideradas disruptivas em razão das suas múltiplas dimensões acontecendo simultaneamente, da sua velocidade e dos impactos gerados no presente e no futuro. Estamos confrontados e confrontadas, portanto, à difícil tarefa de conhecer as tendências destas transições e colocar este conhecimento à disposição das dinâmicas das escolhas coletivas.

Nesse espírito, apresentamos na última semana o II Congresso Observatório das Metrópoles “O Futuro da Metrópoles e a Metrópole no Futuro”, composto por uma série de eventos ao longo de 2021 que estão encadeados e estruturados em torno da proposta de reflexão coletiva sobre o futuro.

O primeiro desses eventos, o Seminário “O Direito à Cidade em Tempos de Inflexão Ultraliberal”, ocorrerá entre os dias 05 e 20 de abril e as inscrições já estão abertas (CLIQUE AQUI).

O Seminário pretende conciliar algumas pautas recentes. A primeira delas, decorre da profunda inflexão nas dinâmicas urbanas e regionais ocorrida em 2020. Além das desigualdades já conhecidas nos países da periferia do capitalismo, como é o caso do Brasil, ampliou-se algumas problemáticas decorrentes da crise sanitária/econômica/social imposta pela pandemia de COVID-19. No campo acadêmico, muitas pesquisas adicionaram camadas de temas a serem estudados pelos pesquisadores, em virtude de novas relações impostas pelo novo cenário mundial e local.

No ano de 2020 também foram realizadas as eleições municipais, que despontaram para novas formas de governo em nível local pelos próximos anos. Ademais, no futuro, nos próximos dois anos, em 2022, estaremos no último ano de pesquisas do atual Programa de Pesquisa do INCT Observatório das Metrópoles, e, portanto, de finalização dos projetos em andamento, coincidindo com as eleições para o legislativo e executivo nas esferas estaduais e federais.

Diante disso, enfrenta-se o desafio de produzir pesquisas que dialoguem com esse contexto e incidam sobre o debate público. Com base nessas pautas, a programação será composta por doze mesas redondas que buscam alinhar a perspectiva teórica com a possibilidade de incidência do Observatório das Metrópoles. Confira:

Inscrições encerradas

(as 500 vagas para inscrição com emissão de certificado foram preenchidas)

Acesse bit.ly/ofuturodasmetropoles e confira as informações sobre o evento.